appcod.gif
Anuncio02.png

Assistentes Sociais de Gramado buscam na Famurs o apoio para garantir o direito à vacina da Covid-19


As Assistentes Sociais Letícia Orrijo da Silva (E) e Roberta Rama de Brito agradeceram o presidente da Famurs, Maneco Hassen, pela atenção e o apoio.
As Assistentes Sociais Letícia Orrijo da Silva (E) e Roberta Rama de Brito agradeceram o presidente da Famurs, Maneco Hassen, pela atenção e o apoio.

Ouça o que disse o presidente da Famurs, Maneco Hassen, sobre este assunto:



As Assistentes Sociais Letícia Orrijo da Silva e Roberta Rama de Brito protagonizaram um momento que fez a diferença em se tratando de direito à vida para os seus colegas de trabalho e serviu de exemplo para trabalhadores do SUAS – Sistema Único de Assistência Social, das demais cidades do Rio Grande do Sul.


Diante da falta de diálogo, indiferença, desatenção e desinformação das autoridades municipais gramadenses sobre a interpretação do Plano Nacional de Vacinação neste caso específico, e observando o perigo iminente que a equipe da Secretaria da Cidadania e Assistência Social está exposta, diariamente, com a Covid-19, as duas profissionais encaminharam na segunda-feira, 08 de junho, um documento ao presidente da Famurs - Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul, Emanuel Hassen de Jesus, popularmente conhecido por Maneco Hassen, relatando a rotina de trabalho dos profissionais da Assistência Social de Gramado e solicitando o apoio da entidade para a inclusão dos trabalhadores do SUAS no Plano de Vacinação da Covid-19 de Gramado.


A justificativa da solicitação foi observada imediatamente pela Coordenação de Assistência Social da Famurs que observou tratar-se de um documento extremamente importante - que permitiu à entidade identificar que outras cidades apresentavam o mesmo equívoco de interpretação do Plano Nacional de Vacinação sobre o assunto, entrando em contato com a Prefeitura de Gramado para orientar, exatamente, como proceder.


“Nós recebemos à partir aqui, da cidade de Gramado, das assistentes Letícia da Silva e Roberta de Brito uma solicitação, um comunicado, para que a gente ajudasse na questão de vacinação dos profissionais de Assistência Social que aqui no município não tinham sido vacinados, e à partir da provocação das servidoras a acabamos detectando que outras cidades tinham esse equívoco de interpretação, que, infelizmente, tem sido comum desde o início da vacinação pela ausência de uma orientação específica e clara do Plano Nacional de Vacinação. Infelizmente, é comum essas divergências entre municípios em determinados setores. E a partir da provocação da Letícia e da Roberta, nós, imediatamente, mantivemos contato com a prefeitura de Gramado que compreendeu a interpretação e providenciou a vacinação delas e das(os) colegas.


E assim a gente tem feito na Famurs desde o início deste processo de vacinação, colaborando, ajudando, e orientando os municípios nas dúvidas do Plano Nacional de Vacinação que não é claro, não é objetivo e suscita essas divergências, às vezes, em cidades vizinhas, que uma categoria em uma cidade é vacinada e na outra não por essa divergência de interpretação. E o nosso papel, obviamente, é auxiliar os municípios a equacionar e tornar isso igualitário para que a vacina possa chegar o mais rápido possível nas pessoas e, claro, primeiramente naquelas que devem ser prioridade como os profissionais que tem trabalho direto com a população”, enfatizou Maneco Hassen.


Vacina aconteceu na sexta-feira, 11 de junho, após a mobilização da Famurs


Na sexta-feira, 11 de junho, três dias após o caso chegar ao conhecimento do presidente da Famurs, ocorreu a vacinação dos servidores da Assistência Social de Gramado, fato que objetivou o agradecimento das Assistentes Sociais Letícia e Roberta na quarta-feira, dia 16, momentos antes de um evento que Maneco Hassen participou no município.


“O documento encaminhado por vocês foi muito importante, servindo de base para outras cidades. A Famurs está à disposição”, comentou Maneco.


A Famurs representa todas as 497 cidades gaúchas – reunindo prefeitos, vice-prefeitos, secretários, técnicos e órgãos da gestão pública municipal.

Leia o que foi encaminhado ao presidente da Famurs, Maneco Hassen, pelas Assistentes Sociais Letícia e Roberta:


FAMURS_ASSISTÊNCIA
.pdf
Download PDF • 128KB

Opinião | Voltencir Fleck


A verdade sobre a vacinação da equipe da Assistência Social de Gramado é que nem o prefeito, nem os secretários, nenhuma autoridade municipal que se diz preocupada com um atendimento humanizado foi responsável pelo ocorrido.


Quem, realmente, mobilizou foram as Assistentes Sociais Letícia Orrijo da Silva e Roberta Rama de Brito, e a ação delas serviu de exemplo para outros municípios, pois permitiu que a entidade identificasse que outras cidades tinham o mesmo equívoco de interpretação, conforme comentou o presidente da Famurs, Maneco Hassen, que, independente de sigla partidária, deu uma aula sobre a sua responsabilidade enquanto agente político e presidente da Famurs, buscando a mediação e promoção da política pública, atendendo uma questão coletiva de muitos trabalhadores da área de Assistência Social.


Enquanto isso, Gramado perdeu o momento de ter dado esse “exemplo para o Brasil” sobre o assunto em questão, ao que tudo indica, como diz o texto acima, pela falta de diálogo, indiferença, desatenção e desinformação das assessorias e das autoridades municipais gramadenses sobre a interpretação do Plano Nacional de Vacinação.


A propósito: foi exatamente isso que eu comentei com o prefeito Nestor ainda no início do mês de maio, quando dele escutei que havia a preocupação pessoal, mas que temia um apontamento do Ministério Público (MP) caso ocorresse alguma ação para os profissionais da Assistência Social, porém, no entanto, agora, em menos de três dias, foi possível imunizar.


É preciso dizer que o prefeito não tem como saber sobre tudo o que acontece, em todos os momentos.


Neste caso parece ter faltado conhecimento de causa, estudo sobre o caso e agilidade aos seus assessores em buscar a informação precisa, não é mesmo?


E por essa morosidade ou desatenção foi necessária a mobilização da Famurs.


Bem diz o ditado que “com saúde não se brinca”.


Não pode-se escutar de pessoas que acham que sabem tudo coisas do tipo “deixa a roda girar”, como que a subestimar a inteligência de profissionais extremamente importantes para “fazer a roda girar” no dia a dia, ainda mais quando o assunto envolve Poder Público municipal.


A notícia que a “decisão foi tomada depois de interferência do presidente da Famurs” ganhou espaço na mídia estadual, conforme pode-se observar no Jornal Correio do Povo Online do domingo, 20 de junho:


Acesse o link e leia:


https://www.correiodopovo.com.br/not%C3%ADcias/geral/gramado-come%C3%A7a-a-vacinar-assistentes-sociais-1.640556


O que disse a Prefeitura sobre o assunto?

*Observe no texto abaixo que sequer a Famurs foi citada.


Gramado vacina trabalhadores da Assistência Social e Conselheiros Tutelares


Expostos diariamente a possibilidade de contaminação, os trabalhadores da Secretaria da Cidadania e Assistência Social e Conselheiros Tutelares receberam nesta sexta-feira (11), através da Prefeitura de Gramado, por meio da Secretaria da Saúde, a primeira dose da vacina contra o coronavírus (Covid-19).


A decisão foi comemorada pelos servidores.


O prefeito Nestor Tissot destaca a importância da vacinação na erradicação da pandemia.


“Sabemos que menos da metade dos gramadenses receberam a primeira dose da vacina, mas nas próximas semanas existe a possibilidade de novas remessas serem entregues com outras marcas, a exemplo da Janssen, que necessita de apenas uma dose para a imunização total”, disse Nestor.


Segundo a Secretaria da Saúde, na próxima semana, será ampliada a faixa etária do público-alvo elencado para receber a primeira dose da vacina.

Voltencir Fleck

Editor do Cidade de Gramado Online

www.cidadedegramadoonline.com.br

163 visualizações0 comentário