top of page
appcod.gif
Anuncio02.png

Ciclo de Vida do Destino Turístico

*POR: ABDON BARRETTO FILHO


O conceito de ciclo de vida de um produto (bem e/ou serviço) envolve a criação, delimitação, estruturação, lançamento no mercado consumidor, desenvolvimento, maturidade, declínio ou um novo ciclo.


É um conjunto de etapas que todo produto percorre, do seu projeto e concepção até o momento em que ele é descontinuado e retirado do mercado.


A primeira fase do ciclo de vida é o desenvolvimento, incluindo o planejamento das suas características e a sua finalidade.


Em continuação, vem a introdução,

quando acontece o lançamento no mercado,

fase que mais demanda investimentos em comunicação integrada e marketing.


Na fase de crescimento, os investimentos devem estar no foco do atendimento da demanda, necessidades do público alvo.


Quando o produto atinge a fase de maturidade, está no ponto mais alto e se mantém lucrativo.


Por fim, a fase de declínio é quando o produto deixa de apresentar bons resultados e precisa ser descontinuado.


Convém salientar que análise do ciclo de vida é indispensável para o desempenho das vendas e das finanças da organização econômica com ou sem fins lucrativos, possibilitando explorar o máximo do potencial de cada produto e a otimização dos recursos organizacionais.


O principal fator de influência no ciclo de vida do produto refere-se ao mercado, suas características e a soberania do consumidor que quer o melhor, aqui e agora.


Atualmente, entender o consumidor pode contribuir na reputação da marca, valorizando a relação “ ganha-ganha” e captando e mantendo clientes fiéis.


No fenômeno turístico, com uma cadeia produtiva de bens e/ou serviços diversos, os maiores desafios dos gestores estão nos relacionamentos com seus públicos: clientes, colaboradores, proprietários, fornecedores, comunidades, governos.


Os avisos das insatisfações dos consumidores que deixam de frequentar hotéis, restaurantes, atrações, rotas e roteiros por faltarem bons serviços nos momentos dos atendimentos físicos e digitais são frequentes.


Além disso, as sustentabilidades ambientais, culturais, sociais e econômicas podem determinar o aumento ou a diminuição da oferta turística.


As insatisfações impactam nas vendas e aceleram o declínio.


Nos Destinos turísticos, os aperfeiçoamentos constantes nos aspectos integrantes da oferta podem gerar novos ciclos.


Por exemplo: os alimentos e bebidas com identificações geográficas, pautas do Connection Gramado Terrois do Brasil, entre 17 a 21 de maio, podem criar novas demandas ou aumentar as estadias dos visitantes.


Na realidade, o ciclo de vida do produto deve ter acompanhamento nas suas 5 fases: desenvolvimento, introdução, crescimento, maturidade e declínio.


Existem sistemas adequados para as gestões, assim como experiências negativas e positivas disponibilizadas nas redes sociais sobre as visitas realizadas.


É importante destacar que nenhum produto tem vida eterna e deve ser sempre aperfeiçoado de acordo com os avanços tecnológicos sustentáveis,para atender consumidores atuais e futuros, criando novos ciclos ou gerando a obsolescência programada ou simplesmente, eliminar sua produção.


As necessidades humanas são ilimitadas.


Criatividade e usabilidade geram a inovação indispensável na economia de mercado.


O novo sempre vem.


Será?


Respeitam-se todas as opiniões contrárias.


São reflexões.


Podem ser úteis.


Pensem nisso.


_________________________________


*Abdon Barretto Filho (FOTO)


Economista e Mestre em Comunicação Social



Textos e podcasts em:




_________________________________



-> Leia todas as notícias e artigos da "Cidade de Gramado", acesse:




-> CIDADE DE GRAMADO ON-LINE: Para anunciar e sugestões de pauta, o contato deve ser pelo WhatsApp 51. 9. 9855. 0051.


____________________________________


NOTÍCIAS DA "TERRA DO TCHÊ"?



CONTATO/WHATSAPP: 51. 9. 9855. 0051


_____________________________________

120 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page