top of page
appcod.gif
Anuncio02.png
  • Saúde

Devido a grande demanda, Hospital São Miguel está encaminhando casos menos graves à Rede de Atenção Básica e ao CAIS

Medida vale a partir da sexta-feira, dia 26 de abril, envolvendo pacientes classificados como casos leves e intermediários (fichas Azuis e Verdes)


📸 COMUNICAÇÃO PREFEITURA DE GRAMADO

O Hospital Arcanjo São Miguel (HASM/FOTO) registrou um crescimento significativo no número de atendimentos em emergência, assim como o cenário estadual neste mês de abril, totalizando 3.826 pacientes atendidos em apenas 25 dias.


Esta grande demanda sobrecarregou o setor de emergência em virtude da procura por atendimentos leves e intermediários que poderiam ser sanados na Rede de Atenção Básica ou consultórios médicos.


Com isso, a direção da casa de saúde, em conjunto com a Secretaria Municipal da Saúde, definiu que a partir da sexta-feira, 26de abril, o HASM recebe pacientes classificados como casos Amarelo, Laranja e Vermelho, conforme preconiza o Protocolo de Manchester adotado pelo Ministério da Saúde.


A medida foi tomada após reunião realizada na quinta-feira, dia 25, com a presença do secretário da Saúde, Paulo Felippe de Carvalho, do interventor do hospital, Carlos Gober, da diretora Assistencial e da coordenadora da Enfermagem de Emergência do HASM, Franciely Schneider e Mirian Frizzo, respectivamente, além da diretora de Atenção Básica do município, Daniele Swaizer e da coordenadora do Centro de Atendimento Integrado a Saúde (CAIS), Patrícia Valle.


Sendo assim, devem procurar o Hospital São Miguel aqueles pacientes com classificação de risco de ‘Urgência’ (Amarela) - necessita de atendimento rápido, mas pode aguardar o atendimento de casos mais graves; ‘Muito Urgente’ (Laranja) - necessita de atendimento rápido, há risco imediato de perda de função de órgãos ou membros; e ‘Emergência’ (Vermelho) - necessita de atendimento imediato, com risco de morte. Já os pacientes classificados como ‘Pouco Urgente’ (Verde) - situações que precisam de atendimento no mesmo dia, sendo baixo o risco biológico e ‘Não Urgente’ (Azul) - situações não agudas, devem procurar ou serão redirecionados para a Rede de Atenção Básica ou o Centro de Atendimento Integrado a Saúde (CAIS), que funciona junto ao Centro Municipal de Saúde, diariamente, das 8h às 20h.


Este fluxo já é adotado pelo município desde agosto de 2023 mas a população segue procurando o hospital em situações de casos leves e intermediários, fazendo com que a capacidade de atendimento hospitalar esteja próxima do limite.

 

Plano de contingência na Rede Básica


O secretário da Saúde, Paulo Felippe de Carvalho, está promovendo reuniões com as equipes da pasta para traçar um plano de contingência visando desafogar o fluxo de pacientes no hospital.


Entre as possibilidades que estão sendo avaliadas está a ampliação do horário de atendimento do CAIS e a contratação emergencial de novos profissionais.


“Estamos entrando em um período no qual tradicionalmente aumenta a demanda pelos serviços de saúde. Mais do que nunca contamos com a compreensão da comunidade em casos não urgentes, para que procurem nossas Unidades de Saúde ou o CAIS”, ressalta Paulo Felippe.


CLASSIFICAÇÃO DE RISCO é uma forma de estabelecer uma hierarquia conforme a gravidade, determinando a prioridade clínica para o atendimento:* Fichas Azuis - Situações não agudas. O tempo para o agendamento deve considerar a história, vulnerabilidade e o quadro clínico da queixa. O paciente recebe orientação específica e/ou sobre as ofertas da unidade. Adiantamento de ações previstas em protocolos.


* Fichas Verdes - Situações agudas ou agudizadas. Consideram-se situações que precisam de atendimento no mesmo dia, sendo baixo o risco biológico ou havendo risco de vulnerabilidade psicossocial importante.


* Fichas Amarelas - Risco moderado. São condições que necessitam de atendimento prioritário, entre 10 e 60 minutos. Inicialmente, a equipe de enfermagem pode oferecer medidas de conforto até a nova avaliação do profissional mais indicado para o caso.


* Fichas Laranjas - Quadro grave. Apesar de constituir uma situação de emergência, o paciente apresenta uma estabilidade maior do que os pacientes atendidos com classificação vermelha.


* Fichas Vermelhas - Alto risco de vida. O atendimento deve ser imediato. A intervenção da equipe deve ocorrer no momento da chegada do paciente, sendo obrigatória a presença do médico.


                                                                                                                                   

RÁDIO CIDADE DE GRAMADO ONLINE

                       “24H NO AR”

 

Para escutar acesse o SITE:

ou o APLICATIVO:

6 visualizações0 comentário

Commenti


I commenti sono stati disattivati.
bottom of page