appcod.gif
Anuncio02.png

Geoparque Cânions do Sul recebe a chancela da Unesco


O Geoparque Cânions do Sul é formado por sete municípios, três do Rio Grande do Sul - Cambará do Sul, Mampituba e Torres, e quatro de Santa Catarina - Praia Grande, Jacinto Machado, Morro Grande e Timbé do Sul. (FONTE: RÁDIO MARISTELA | IMAGEM: DIVULGAÇÃO)



Na segunda-feira, 13 de dezembro, foi anunciado que o Geoparque Cânions do Sul se tornou um Geoparque Mundial da Unesco.


A decisão pela chancela foi tomada durante a sexta reunião estatutária realizada online entre os dias 8 e 11 de dezembro de 2021 pelo Conselho Global de Geoparques da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). O Conselho da Organização, formado por 50 observadores e representantes, avaliou 18 projetos encaminhados entre os anos de 2019 e 2020.


Destes apenas oito foram aprovados, seis da Europa e dois do Brasil: o Geoparque Cânions do Sul e o Geoparque Seridó, do Rio Grande do Norte.


O Geoparque Cânions do Sul é formado por sete municípios, três do Rio Grande do Sul (Cambará do Sul, Mampituba e Torres) e quatro de Santa Catarina (Praia Grande, Jacinto Machado, Morro Grande e Timbé do Sul).


Os Geoparques Globais da UNESCO são áreas geográficas únicas e unificadas, onde locais e paisagens de importância geológica internacional são gerenciados com um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável.


Eles aplicam uma abordagem, combinando conservação com desenvolvimento sustentável e envolvendo as comunidades locais. O Conselho de Geoparques Globais da UNESCO é responsável por avaliar as nomeações revalidadas e as novas nomeações do Geoparque Global da UNESCO, que são então submetidas ao Conselho Executivo para aprovação.

Em novembro deste ano, os municípios que fazem parte do consórcio receberam a comitiva de avaliadores internacionais da Unesco para visita de análise do Geoparque Cânions do Sul.


Em Torres, os avaliadores visitaram o Parque da Guarita (FOTO), o Morro do Farol e a Igreja São Domingos.

3 visualizações0 comentário