appcod.gif
Anuncio02.png

A expectativa da retomada em setembro de 2021


*Abdon Barretto Filho – Economista e Mestre em Comunicação Social contato@abdonbarrettofilho.com.br.
*Abdon Barretto Filho – Economista e Mestre em Comunicação Social contato@abdonbarrettofilho.com.br.

Com o sucesso de uma série de medidas contra a pandemia do Covid 19, principalmente as aplicações das vacinas; usos de máscaras; distanciamento social responsável; controles de aglomerações; sensibilização da população, entre outras, o otimismo aumenta.

Infelizmente, muitas mortes e muitos equívocos em todo o mundo.

Com a chegada do setembro de 2021, existem comprovações que as medidas estão controlando a pandemia no Brasil e no exterior.

Dias melhores estão por vir.

Muitas pessoas querem retomar suas viagens.

As buscas dos destinos turísticos de curtas distâncias, tem sido as preferências reveladas dos visitantes.

Os grupos familiares podem predominar.

A segurança em primeiro lugar para proteção total: protocolos ainda mais rígidos de higienização e das aglomerações.

De uma maneira geral, os visitantes querem relaxar, com experiências de contemplações dos aspectos urbanos e/ou rurais. Nas cidades, os passeios a pé e nas regiões turísticas, caminhadas por trilhas seguras e com serviços.

É o Turismo voltando às suas origens.

Enquanto o fenômeno turístico está revendo uma série de protocolos nos transportes, principalmente aéreo e marítimo, o visitante está buscando o consumo do tempo livre no entretenimento, lazer e viagens curtas.

Os principais destinos turísticos mundiais estão buscando alternativas para reduzir incertezas visando recuperar demandas de fluxos de visitantes.

Convém destacar, que o Turismo continua sendo um dos maiores sonhos dos consumidores da Economia de Mercado.

Viajar está incorporado ao orçamento familiar.

O Turismo massivo foi reduzido porque a demanda diminuiu.

Os cancelamentos dos voos e cruzeiros marítimos, assim como as reservas nos meios de hospedagem, demonstram os estragos econômicos e sociais causados pela pandemia.

Desemprego em massa nos setores vinculados ao Turismo, Eventos e à Hospitalidade são conhecidos por todos.

Adaptar-se é imprescindível para sobreviver: o mundo mudou, o mercado mudou, o Turismo mudou e todo sistema produtivo deve ser adaptada à um novo tipo de Demanda Turística.

Teremos bens e/ou serviços mais diversos para públicos distintos, de acordo com preferências e disponibilidades econômicas e financeiras dos visitantes.

Os eventos híbridos estão consolidados e os eventos presenciais serão ainda mais valorizados pelos relacionamentos pessoais. Nada substitui o contato humano.

A retomada está iniciando.

Sempre existirão alguns aspectos geográficos, históricos, culturais, equipamentos e serviços capazes de atraírem visitantes por motivações diversas.

Os verbos do Turismo devem ser lembrados: transportar, visitar, comer, aprender, entreter, comprar e dormir fora da residência. Viajar é preciso.

O Turismo vai crescer em “V “.

Para os gestores públicos e privados, é chegada a “hora da verdade” enfrentando as inúmeras variáveis incontroláveis, destacando-se: a pandemia, a economia, a tecnologia, a legislação, a política e as necessidades ilimitadas dos clientes. Será?

Respeitam-se todas opiniões contrárias.

São reflexões.

Podem ser úteis.

Pensem nisso.

*Textos e podcasts em:

www.cidadedegramadoonline.com.br

www.peloscaminhosdoriogrande.com.br

www.abdonbarrettofilho.com.br

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo