appcod.gif
Anuncio02.png

As redes sociais atendem dos 8 aos 80 anos


*Abdon Barretto Filho – Economista e Mestre em Comunicação Social |contato@abdonbarrettofilho.com.br.
*Abdon Barretto Filho – Economista e Mestre em Comunicação Social |contato@abdonbarrettofilho.com.br.

As rede sociais permitem que integrantes de várias faixas etárias, possam se comunicar de formas inéditas.

Os avanços tecnológicos e os aplicativos permitem produções audiovisuais em tempo real.

Pessoas com 8 a 80 anos, podem produzir e distribuir conteúdo como nunca houve no Planeta.

Basta ter acesso à internet para registrar e distribuir opiniões diversas sobre diferentes assuntos formando grupos de admiradores, seguidores, amigos, colegas, parceiros, colaboradores e até inimigos.

Além disso, os novos canais de distribuição e comercialização de bens e/ou serviços combinados com a logística e finanças aumentam suas participações nos mercados.

As legislações não conseguem acompanhar as mudanças dos avanços tecnológicos.

A propaganda enganosa, as insatisfações dos clientes e as reputações das organizações econômicas com ou sem fins lucrativos são ampliados através das redes sociais.

Os desafios dos estrategistas, gestores e operadores aumentam para avaliarem e corrigirem os rumos dos seus respectivos negócios públicos e privados.

É óbvio que a liberdade de expressão deve ter limite quando o internauta ofende ou é ofendido.

Os infratores da legislação em vigor são rastreados e processados para o bem da sociedade.

Mas, sejamos otimistas.

Sempre.

Nas redes sociais também existem integrantes que fazem o bem sem olhar a quem.

Observa-se que existem pessoas com idades variáveis que são ativas nas redes sociais, postando mensagens e produzindo audiovisuais diversos.

Eles gostam de apresentarem suas ideias, opiniões, suas propostas e propósitos, sejam através da arte e/ou da ciência. Existem verdadeiras obras de artes sendo divulgadas e consumidas gratuitamente nas redes sociais: são exposições fotográficas e cinematográficas; instalações e composições artísticas; eventos híbridos; espetáculos diversos; aulas; conferências; seminários, jornais e revistas; programas de rádios, entre outras formas de comunicação integrada.

Convém salientar que os avanços tecnológicos continuam com as realidades virtuais e ampliadas.

Atualmente, antes de decidir qual o destino turístico que vai visitar na sua próxima viagem, pode-se realizar pesquisas sobre atrativos, hotéis, passeios, horários, preços, avaliações dos visitantes, entre outras informações úteis para tomadas de decisões.

As “viagens virtuais” podem atender interessados que sonham e ficam satisfeitos com acessos aos textos e produções audiovisuais que apresentem os atrativos do destino turístico.

É óbvio que as buscas pelos contatos humanos com os agentes de viagens, hoteleiros, guias de turismo, entre outros serviços profissionais, são insubstituíveis e podem garantir que as viagens serão realizadas conforme as expectativas.

Realmente, o mundo mudou, as formas de realizar negócios mudaram e dependem das demandas das pessoas que integram gerações diferentes.

São infinitos mercados, segmentos, nichos que exigem pesquisas e gestores profissionais.

A diferença está no poder de compra de cada um deles integrante da sua geração.

A redes sociais podem ajudar.


Será?

Respeitam-se todas as opiniões contrárias.

São reflexões.

Podem ser úteis.

Pensem nisso.

*Textos e podcasts em www.peloscaminhosdoriogrande.com.br, www.cidadedegramadoonline e www.abdonbarrettofilho.com.br.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo